21 de junho de 2011

Indagações sobre a Fé Cristã

O José Barbosa Jr. do Crer e Pensar lançou uma proposta pro pessoal responder a algumas indagações sobre o evangelho, de pronto aceito a proposta e compartilho com vocês minhas respostas. Antes de ler lembre-se que não sou teólogo e as respostas que dou aqui são fruto dos estudos que já fiz e da interpretação que faço acerca do Cristianismo.

José Barbosa Jr: Uma criança é pura! Jesus disse que das tais é o Reino! No entanto nós dizemos que o ser humano é mau, NASCIDO em pecado! Afinal de contas, uma criança é pura e é da boca dos pequeninos que se tira o perfeito louvor ou são pequenas víboras, nascidas em pecado e não redimidas enquanto não “tomam consciência do pecado” e da salvação?
Dan Martins: Acredito que uma criança é inocente e pura e não víboras carregando o tal "pecado original". Creio que o que podemos chamar de pecado original é o ato de, após tomarmos consciência de nossa condição humana, acreditarmos que somos suficientes em nós mesmos e não precisamos de Deus. Para mim, o pecado maior é esse afastamento que nós, adultos, criamos entre nós e Deus. Fomos criados para viver em harmonia e total dependência em relação a Deus, e quando negamos essa natureza, pecamos.

JB Jr: Adão pecou. Toda a raça humana pecou com ele. É o que chamam de “solidariedade da raça”. Jesus é o segundo Adão! É o que a Bíblia diz. Seu “sacrifício” é a “quitação” do pecado de Adão. Por que isso não se estende a toda a raça? Só somos “solidários” no pecado? A força do pecado é maior que o poder do sangue de Jesus?
Dan: A nossa solidariedade com o pecado de Adão nasce quando nós, assim como ele, negamos a autoridade de Deus sobre nossas vidas e, mais ainda, negamos que somos totalmente dependentes dEle. A quitação desse nosso pecado vem através do sacrifício vicário de Jesus, mas mediante a nossa fé nesse sacrifício. O poder do sangue é maior que a força de qualquer pecado, mas o poder de Cristo não invade nossas vidas sem a nossa permissão. Assim como damos permissão para nossos erros, precisamos dar permissão para o agir do sangue de Jesus.

JB Jr: Se Deus cria um ser humano e o predestina a não crer nEle, porque o punirá depois, eternamente, num inferno de tormenta e fogo, exatamente por não crer nEle? Este ser humano não é obediente àquilo para o qual foi criado? Por que ser punido por não crer naquilo em que ele não poderia ter crido?
Dan: Não creio de forma nenhuma em predestinação. Minha fé se baseia no fato de que o amor de Deus por nós é tão grande que Ele nos deu o grande presente do livre arbítrio, de forma que podemos escolher qual caminho desejarmos. Então ele se faz conhecer a nós e nos dá a opção de voltarmos a Ele e vivermos na dependência de seu amor. E por sua justiça colhemos os frutos de nossas escolhas, boas ou não.

JB Jr: Se Jesus, o Deus encarnado, transformou água em vinho, e ao que tudo indica também bebia vinho, porque os seus seguidores, que se dizem seus imitadores, condenam quem beba vinho ou bebida forte, e expulsam pessoas de suas igrejas por fazerem aquilo que seu Mestre fazia sem problemas?
Dan: Não tenho profundos conhecimentos sobre as distinções entre vinho e bebida forte, mas tenho convicção que o que nos é instruído a não praticar é a embriagues e não um consumo consciente de qualquer bebida que seja. Mas a condenação por parde dos que se dizem imitadores nasce da ignorância e descaso com o maior dos mandamentos que é o amor. Pois mesmo que nos fosse proibido (o que acredito não ser) o consumo de álcool, caberia a nós enquanto cristãos acolher e instruir e não condenar e segregar.

JB Jr: Por que usamos as leis que nos interessam nos livros de Êxodo, Levítico e Deuteronômio (principalmente os preceitos relativos a sexo e gênero) para punir pessoas que as transgridem e até mesmo para condenar os que tais coisas praticam, mas não utilizamos outras menos interessantes (escravidão, comidas impuras, impureza menstrual, etc)? A lei só é válida para os pecados sexuais? A graça não atingiu esses pontos? Seria preciso um pouquinho mais de sangue derramado?
Dan: Acredito que a lei é mera sombra do que a graça nos proporciona. Quando conseguimos viver pela graça e deixar que o Espírito Santo guie nossas vidas nós não precisamos nos pautar por usos e costumes. Porém o que acontece na prática é o uso descontextualizado de algumas instruções, que muitas vezes era exclusivo ao povo e tempo de Israel, de forma a manipular o povo através da culpa. o sacrifício de Cristo nos basta, cabe a nós apenas ser seus imitadores e não imitadores daqueles que clamaram por Barrabás.

JB Jr: Se o lema da Reforma protestante é “igreja reformada, sempre reformando”, por que será que condenamos aqueles que questionam pressupostos teológicos antigos? A Reforma foi estagnante? Devemos parar em 1517? Não há mais teologia a se fazer após esse período? Lutero, Calvino e outros não deveriam também ser condenados por questionarem teologias já firmadas de sua época? Por que seguimos esses hereges?
Dan: Em primeiro lugar acredito que tudo o que Deus tem para nos falar está escrito na Bíblia, que é a sua Palavra para nós. Porém precisamos estar sempre buscando seguir a voz dele e não as vozes de nossas vontades ou de doutrinas humanas, e foi isso que aconteceu com os reformadores: uma ruptura com um momento histórico em que as doutrinas humanas tomavam lugar das verdades sagradas. E creio que essa reforma deve ser constante e eterna, de forma a não nos desviarmos para nossos próprios anseios humanos e materialistas. Portanto há sim teologia para fazermos todos os dias, há a teologia de nossas vidas para serem construídas espelhadas na vida desses grandes homens e, principalmente, na vida do maior de todos os homens: Jesus de Nazaré.

Não tenho pretensão se ser o paladino da verdade com minhas palavras, e esse é um espaço para discutirmos idéias. Portanto, discorde, concorde, complemente... Vamos conversar e ajudar uns aos outros nesse caminho. Deixe seu comentário sobre essas questões ou sobre minhas respostas.


Dan Martins.

2 comentários:

  1. certa vez um teólogo alemão disse que para se conhecer o cristianismo de uma forma global e completa, se deve ter um certo conhecimento de historia, filosofia e teologia, sem os quais, nossa fé é vaga e sem razão. gosto de ler livros do cristianismo, mas não tendenciosos, gosto de livros escritos por historiadores renomados como daniel hops, e thomas woods por exemplo, pois para se entender se houve acrescimos ou decrescimos na doutrina cristã , esse livro não pode ser nem católico, nem evangelico pois cada uma vai puxar a sardinha para sua brasa, então leia historiadores,que são imparciais, mesmo assim após te-los lido tenho a igreja católica em mais alta conta, pois é a verdadeira e única igreja fundada por cristo, e querida por ele como sua esposa, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela, leia filosofia patristica que voce irá entender o que digo..... fica com Deus....

    ResponderExcluir
  2. ah esqueci de dizer, complementando o texto supracitado, que a igreja católica salvou e resguardou toda a cultura greco-romana das mãos dos barbaros que invadiram o imperio romano destruido, e que transcreveu, guardou, e conservou toda a cultura da civilização ocidental que temos hoje, tanto a lingua derivada do latim, que falamos, quanto a cultura do ocidente cristão, e inclusive as escrituras, copiadas e guardadas pelos monges copistas nos scriptorums na idade média, como não amar e admirar essa igreja.... é só ler , buscar e pesquisar historiografia cristã, desde a peleo - cristã, catacumbaria até nosso dias. fica com Deus.

    ResponderExcluir

Mostre o que se passa por sua cabeça. Comente.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...