29 de junho de 2010

Carta aberta aos cristãos brasileiros

Já faz um bom tempo que não escrevo nada sobre a igreja e o cristianismo. Vez ou outra alguém me pergunta por que abandonei esse espaço, por diversas vezes me desculpei por deixar esse blog de lado e disse que daquele momento em diante as coisas voltariam ao normal por aqui. Sempre que me perguntavam o porquê de não estar ativo com o blog eu colocava a culpa nos afazeres diários, nos compromissos de negócios e nos intermináveis trabalhos da faculdade. Peço desculpas aos caros amigos pelo uso abusivo dessas desculpas, e de uma vez por todas vou falar de forma aberta e rasgada com todos vocês.

Primeiro, quero que não vejam essa carta como uma despedida do blog ou algo que o valha, ainda tenho muitas idéias nessa cabeça louca pra debater com vocês.
Desde que comecei esse blog, alimento a vontade de debater abertamente os temas decorrentes de nossa vida e jornada como cristãos, sempre propus conversas francas sobre minhas idéias e sobre como eu enxergo a visão de Deus para nós enquanto Igreja. Já falei aqui de música (um dos meus assuntos preferidos), já falei de filmes, cultura em geral, já falei sobre o “pode / não-pode” que ao qual a igreja nos submete, já falei de política, já falei de livros, já falei de mim. Sempre busquei me pautar naquilo que a Bíblia nos fala, já fui elogiado por isso, por outro lado já me tacharam de herege e desviado.

Mas sempre busquei me pautar naquilo que Deus nos deixou de mais puro e sublime: o grande mandamento do amor. Em tudo que escrevi, sempre busquei me pautar na Palavra firme e verdadeira cunhada na Bíblia, livre de religiosidade e interpretações que me fossem favoráveis.

Aqui cresci muito espiritualmente e também no âmbito intelectual. Através desse blog confabulei com companheiros que tinham os mesmos pensamentos que eu, aprendi muito com alguns com os quais eu não concordava e com os que não concordavam comigo. E porque não dizer que já ensinei algumas coisas para um ou outro?

Talvez você esteja se perguntando nesse momento: Se esse blog é algo assim tão bom pra mim, porque ele está abandonado? Então, me deixe falar o porque. O que deveria ser o meio cristão, o que deveria ser a Igreja está se transformando num grande e abominável circo. Paga-se para ver um espetáculo, performistas em um show que chamam de ministração, mágicos vendendo milagres, malabaristas que jogam a Palavra de Deus pra cima e a movimentam conforme bem entendem. Não estou apontando o dedo pra ninguém, não estou falando da igreja que freqüento, não estou apontando pra denominação A ou B, porque não tem como por a culpa em apenas uma gota em um imenso lago. Talvez os irmãos me digam: “mas já está assim desde antes de você começar esse blog” ou “mas isso foi o que você sempre falou e combateu aqui”. Eu respondo: eu sei, sempre falei dessas palhaçadas que estão fazendo com o cristianismo, sempre falei dos vendilhões do tempo dos tempos modernos. Mas é que tudo tomou uma dimensão que está me dando asco. São pastores saindo de uma igreja que não os convém e criando outras segundo seus próprios preceitos, são aqueles velhos conhecidos que usam o evangelho para enriquecimento próprio, são os famigerados teólogos da prosperidade que enxergam a Deus como um grande gênio da lâmpada pronto para atender seus desejos. São tantas as coisas que eu decidi dar um tempo de falar.

Não pensem que me tornei um dos sem-igreja, não. Continuo firme com a idéia de que a comunidade, no fundo de seu significado literal de unidade comum, mantém a nós pobres homens de pé. Só que nesse momento quero viver um cristianismo mais puro, mais simples, sem todos esses penduricalhos que o torna algo pomposo e atraente. Quero viver aquilo que Jesus nos ensinou como base para nossas vidas: “Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo”. Acredito que vivemos em um tempo no qual não existe mais toda aquela perseguição vivida pela igreja primitiva e que muitos insistem em falar que estamos revivendo. Vivemos em um tempo em que deveria ser tão simples viver o evangelho segundo o amor e fazer dele o âmago de nossas vidas, mas estamos tornando tudo muito complicado com nossas vontades e egos aflorando mais que as plantas na primavera.

Não quero, com essas palavras, passar uma falsa idéia de que acredito que o cristão não vai enfrentar lutas e problemas. Claro que vamos, assim como todas as outras pessoas também enfrentam as suas angústias e dificuldades, também viveremos as nossas. O que não suporto é essa mentalidade besta de que podemos comprar o favor de Deus com nossos atos, como se Ele fosse apenas um ser manipulado por nossas vontades ou deslumbrado com nossos atos. Não suporto esse papo sobre um deus que divide as pessoas entre os que pagam e os que não pagam seus tributos divinos, punindo bons homens que não trouxeram uma moeda e favorecendo outros que nem ao menos ouviram falar do amor dele apenas porque trouxeram um pote de ouro. Que deus é esse que estão tentando me vender?

Estão a cada dia transformando o povo em uma grande massa de manobra, que profere discursos cada vez mais bonitos através de uma vida cada vez mais vazia. E com as eleições se aproximando... todos sabemos no que vai dar. Manipulam as pessoas como se fossem donos da verdade, ditando o que podem ou não fazer, as conduzindo por avenidas bradando palavras de uma vitória que elas jamais conhecerão, já que depois de todo esse show todos voltam pra casa tão vazios quanto saíram. A cada dia mais dão ao povo suco de uva ao invés de ensinar sobre sobriedade e autocontrole. Mas a culpa é também do povo, pois todos querem estar ao lado do dono do ouro e da prata, mas poucos querem servir ao Deus de amor, que veio até nós como o mais humilde dos homens.

Portanto amigos, antes que esse discurso se prolongue e ninguém mais tenha paciência de ler, quero encerrar dizendo que estou vivo no cristianismo, não me decepcionei nem me afastei de Deus. Só estou me mantendo longe de discursos repetidos para pessoas que estão cansadas de ouvi-los. Voltarei a escrever por aqui, talvez mais breve do que eu mesmo imagino. Mas nesse momento quero viver em tranqüilidade com Deus, quero viver a plenitude de seu amor e não os discursos proferidos por pessoas. Quero poder falar o que penso sem ter medo de estar fora de uma forminha religiosa, e até falar um pouco de bobagem às vezes. Quero viver a simplicidade de um cristianismo que só seja religioso se tomar pra si a literalidade dessa palavra que é nos religar àquele que nos criou. Quero viver sim sob os cuidados de Deus, mas não viver em um cercadinho em que cada passo meu seja interpretado com um ato religioso. Que os ensinamentos de Jesus me sejam como luz e não as centenas de regras criadas por homens.

Por uma vida baseada na Palavra de Deus e não em palavras humanas,
Martins
Pingar o BlogBlogs

13 comentários:

  1. Eu te entendo...

    Que Deus te abençoe.
    =]

    ResponderExcluir
  2. Que lixo de Blog. Também pudera, um blog de crente só poderia ser lixo mesmo, assim como todo seu conteúdo.
    A propósito: vá estudar mané, porque te garanto que ficar rezando não vai melhorar seu português que também é um Lixo.... Crente = Shit.

    ResponderExcluir
  3. Olá meus queridos irmãos Graça e Paz.

    Parabéns pelo Blog abençoador, muito edificante para as nossas vidas.
    Gostaríamos de compartilhar também o nosso blog

    " Mensagem Edificante para Alma"
    http://josiel-dias.blogspot.com/

    Ficaremos felizes por sua visita, mais ainda se nos seguir-nos.

    Josiel Dias
    Cons Missionário
    Congregacional
    Rio de Janeiro

    ResponderExcluir
  4. Vou postar um comentário deliberadamente ao provável próximo usuário condizente a "anônimo". Espero que você não venha a ser um ateu, ou se vier, saiba que você apenas está bancando o imbecil (com perdão a palavra). Julgar a vir propagar ofenças sem nexo ploliferando o ódio e discórdia é algo que foge a escala evolucional que preza o homo sapiens como uma espécie intelectualmente avantajada sobre as outras.
    Sim eu sou ateu, mas me presto a dar toda uma condição respeitável a essa linha consagrada da igreja que propõe em suas palavras ao homem a se guiar sobre o bem.
    Ao meu amigo do site, prezo por seu zelo por entregar-se a este estudo da teologia profundamente, no qual considero gratificante por se tratar de um conhecimento histórico e vital a humanidade. E se possível lhe peço unicamente ignorar comentários isolados como este, porque eles não provém necessariamente de uma mesma linha de raciocinio.

    Me certificando de que o preconceito de qualquer maneira venha a ser erradicado.
    H. Sestari.
    Obrigado pela compreensão.

    ResponderExcluir
  5. É parece que o blog não está tão abandonado como você disse. Apagou meu post em menos de 3 horas.
    Muito obrigado, agora eu sei exatamente o que isso significa.

    ResponderExcluir
  6. H. Sestari,
    Me desculpe mas nao sei o que aconteceu com seu comentário anterior, recebi por e-mail mas ele nãos está apareceu no blog. Irei pegar o texto do e-mail e republicar aqui.

    ResponderExcluir
  7. Seu comentário estava na caixa de Spam. Agora está publicado.

    ResponderExcluir
  8. Obrigado por dar-se ao trabalho e retiro vergonhosamente minha indignação. Essa sua atitude me contenta por demonstrar como sua sabedoria é ampla suficiente para não julgar pessoas a sua volta por apenas um título.

    Seu site já esta em meus favoritos, e acompanharei com frequencia seus textos pois os considerados muito instrutivos.

    Obrigado mais uma vez.
    H. Sestari

    ResponderExcluir
  9. Quem não leu não deixe de ler:

    http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EMI161475-15228,00-A+NOVA+REFORMA+PROTESTANTE.html

    Abraços

    ResponderExcluir
  10. Ñ ENTENDI DO QUE SE TRATA O SITE

    ResponderExcluir
  11. Como primeiro ato de retorno a esse blog, quero responder aos comentários:
    Talita,
    Minha querida, fico feliz por sua compreensão. O apoio de alguém que já leu muito das maluquices escritas aqui é muito importante para mim.

    Anônimo,
    Na boa? Foi o tempo em que eu me preocupava com pessoas tão pequenas quanto vc.

    H. Sestari,
    Na verdade não me entreguei ainda a um estudo realmente profundo da teologia, só procuro viver da forma mais simples possível diante do meu Deus.

    Daniel Alves,
    Eu já tinha ouvido falar dessa reportagem mas ainda não li. Farei isso.

    Anônimo,
    Dê uma lida nos outros textos que você vais entender.

    É isso aí, dessa vez sem promessas mas estou de volta.

    ResponderExcluir
  12. Eu conheci este blog recentemente, e parabenlizo os seus organizadores, é um dos melhores que já li.Quanto aos comentários do anônimo, ele é tão insignificante que nem se identifica. é burro.

    ResponderExcluir
  13. Obrigado cara. Aprecio muito quando vejo que alguém gosta das coisas que escrevo.

    ResponderExcluir

Mostre o que se passa por sua cabeça. Comente.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...